Sociedade: o que fazer para esse casamento dar certo?

Divisão de tarefas, divisão de lucros e despesas, convivência, personalidades: todas essas questões que são importantes em um casamento – e podem decretar o fim do relacionamento – também são fundamentais à sociedade empresarial, com um agravante: não se conta com o amor para relevar as falhas…

Listamos, a seguir, aspectos a serem avaliados antes de dizer SIM para um novo sócio. Porque é preciso estar preparado para dividir sua empresa com alguém. A lista serve também para sociedades existentes: se há algum problema nessa relação, é porque houveram falhas em um desses pontos. No entanto, antes de romper, é possível reavaliar os motivos pelos quais estão juntos, pesar a decisão e corrigir equívocos lá do início. Talvez reconciliar valha a pena!

O SEU MOMENTO

Você está pronto para dividir um negócio com outra pessoa? O aspecto financeiro vai ajudar a responder essa pergunta, seja para incluir um sócio na sua empresa ou para iniciar, com alguém, um novo negócio. Faça as contas para ter certeza de que o rendimento da sua empresa será suficiente para arcar com mais um colaborador como sócio.

O PAR IDEAL

Também não há pessoas perfeitas nessa relação. Mas é preciso encontrar quem melhor se encaixa nos seus propósitos empresariais, pelos motivos certos. Escolher alguém, por exemplo, pelo aspecto financeiro, não é uma boa receita, como em qualquer casamento. Avalie afinidade em todos os sentidos: é isso que vai equilibrar a relação determinar o sucesso da sociedade.

O QUE TEMOS EM COMUM

Para uma sociedade funcionar, é preciso que ambos entendam os objetivos do negócio e que queiram caminhar juntos. Seja muito claro ao especificar suas metas, seu público, a atuação no mercado, o foco, as prioridades. As concessões entre os sócios devem ser feitas nesse momento: é mais fácil ceder agora do que durante o andamento do negócio.

COMPLEMENTARES

Dividir tudo conforme o percentual de cada um na sociedade é bom para esclarecer o contrato, mas nem tudo é tão 50/50 assim. Equilibrar as demandas não significa dividir todas as tarefas, por exemplo, pela metade. Fazer isso pode parecer justo, mas, na prática, é ignorar os talentos individuais. Seja humilde para perceber no que o outro é melhor do que você e faça dos talentos individuais uma recurso para uma relação mais dinâmica de trabalho.

OFICIALIZE

Aqui há uma vantagem em relação aos casamentos: um contrato mais amplo claro sobre o papel de cada um. Não basta concordar em uma conversa, é preciso especificar tudo no Contrato Social: a participação; as responsabilidades; a retirada de capital; o negócio, em si; a divisão de lucros e despesas (muita atenção a esta parte, o nosso “na riqueza e na pobreza”, item responsável por grande parte das dissoluções de sociedade).

NÃO SEJA INDIVIDUALISTA

Ser empresário dá uma sensação de não precisar prestar contas a ninguém. Em uma sociedade, você precisa estar pronto para dar satisfações e cobrá-las também. Abandone o “EU”, todos os passos e decisões devem ser pensados em conjunto.

CONVERSE

Mantenha o diálogo aberto, honesto e frequente. Essa integração alimenta a confiança entre os sócios. Fale de suas insatisfações, de maneira construtiva, sempre que elas ocorrerem. Pequenos problemas acumulados, além de promoverem indisposição, acabam vindo à tona de uma vez só e podem acabar com a sociedade. Uma boa maneira de não transformar esse diálogo em discussão é basear-se em dados mensuráveis sobre os lucros, despesas, clientes, e cumprimento das demandas de cada um. E isso também ajuda a manter o foco nos objetivos traçados para a empresa.

NEGÓCIOS À PARTE

Seu sócio pode ser um amigo (se não é, é bom que se torne) ou um familiar. Entenda que, quanto mais próxima for a relação, mais cuidados você deve tomar com a oficialização e cumprimento dos papéis. É inevitável que as relações pessoais interfiram no trabalho e, em sociedade, é fundamental que, inclusive essas, sejam gerenciadas de forma profissional. O que causa os rompimentos de sociedade não são os problemas pessoais, em si, mas a maneira pessoal como se lida com eles.

Gostou das dicas? O que mais você considera importante na relação de uma sociedade empresarial?

Publicado por

marketingcdl

A CDL Caxias é a maior entidade do movimento lojista do Rio Grande do Sul e a está entre as maiores do Brasil em número de associados. É afiliada à CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas que congrega 1600 CDL´s e 600 associações comerciais, reunindo 2.200 mil entidades no Brasil e 800 mil pontos de vendas e à FCDL – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul que reúne 152 CDL´s, 20 associações comerciais e 40 mil pontos de vendas no Estado. O trabalho sério desenvolvido pelos 30 presidentes que já atuaram na entidade ao longo destes 50 anos, diretores e profissionais que participaram da CDL Caxias é respaldado pelas muitas conquistas que a entidade obteve. Uma das mais importantes veio no ano final de 2005, quando a entidade, entre todas as CDLs do país, ganhou o 1º lugar na Categoria Serviços aos Associados na 46ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, realizada em Maceió, Alagoas.

Deixe uma resposta