Personalize e venda mais neste Dia das Crianças

Nos Estados Unidos, existe uma grande rede de lojas da marca American Girl. As lojas, presentes nas grandes cidades como Nova Iorque, Los Angeles, Orlando, entre outras, vende bonecas — que, supostamente, são parecidas com suas donas. Sim! Como existem variados modelos de bonecas (além das loiras, morenas, mulatas, orientais, ruivas, etc) toda menina que visita a loja consegue se identificar com alguma. Caso a boneca não seja tão parecida assim, a própria loja proporciona um salão de beleza onde ela (a boneca) pode passar por uma transformação — alisar, enrolar o cabelo, etc. As meninas também podem fazer uso do salão. Saem da loja com as bonecas que têm a cara delas e, mais do que isso, com roupas iguais às do brinquedo, que são vendidas na American Girl. Continuar lendo Personalize e venda mais neste Dia das Crianças

Anúncios

Case de associado para o Dia dos Pais: Pizzaria Casa Nossa

Um dia em que o pai não precisa pagar a conta. Que tal? Esse é o mote de muitas campanhas de Dia dos Pais, seja no setor de comércio ou de restaurantes de Caxias. Uma delas é na Casa Nossa Pizzaria, associada da CDL. Continuar lendo Case de associado para o Dia dos Pais: Pizzaria Casa Nossa

Prepare a equipe para a famosa frase: “Só dando olhadinha”

“Posso ajudá-lo?”

“Não, obrigado, estou só dando uma olhadinha!”

Difícil encontrar um lojista que nunca tenha escutado essa frase. E um cliente que nunca a tenha dito!

Muitos entram na loja dizendo isso por não quererem ser “incomodados” pelo vendedor. E é justamente essa ideia de que “o vendedor incomoda” que as lojas precisam tentar combater.

Um grande problema é que muitos consumidores já tiveram experiências ruins com vendedores, que acabaram “lhes convencendo” a comprar algo que eles não precisavam tanto, que não tinha muito a ver com eles, que não era exatamente o tamanho que se sentiam bem…

Um dos segredos (e já falamos muito sobre isso por aqui) é ouvir o cliente! Ouvir a sua necessidade, o que ele precisa, o que ele gosta, o que ele não gosta. Não tentar fazer uma venda que seja do seu gosto, mas do gosto do cliente.

Outra dica é não ser tão formal, é tentar se aproximar de uma forma um pouco (mas só um pouco) mais descontraída, mais simpática, para que ele se sinta à vontade para lhe dizer o que está procurando.

Se mesmo assim a resposta for: “Nada, estou só dando uma olhadinha”, não abandone o cliente dentro da loja. Fique por perto (mas não colado) caso ele tenha alguma dúvida ou queira experimentar algo. Faça alguns comentários, perguntas e sugestões, quando perceber o que ele pode estar procurando (se não tiver o produto exato, pode sugerir algo parecido que pode ajudá-lo ou, quem sabe, ser ainda melhor para ele). Agora, se você perceber que o cliente realmente não quer você por perto fazendo perguntas (alguns não gostam disso mesmo), saiba dar um passinho para trás para não perder uma possível venda e possível cliente.

 

Três diferenças entre vendedor amador e um vendedor profissional, segundo o site falandodevarejo.com:

Amador

Profissional

Atende com displicência e não se preocupa com a apresentação pessoal.

Atende com seriedade e interesse e sabe que a apresentação pessoal é importante.

Tem expressão de cansaço, desânimo ou frieza.

É simpático, sorri e mantém uma postura comportamental adequada. Demonstra disposição.

Não pergunta o nome do cliente.

Pergunta o nome e, em seguida, diz o seu próprio.

 

 

O cliente reclamou. E agora, o que fazer?

Todo mundo já ouviu reclamações do seu serviço ou produto. Mas nem todo mundo sabe como lidar com isso. Nós preparamos duas breves listas, O QUE NÃO FAZER e O QUE FAZER ao receber uma reclamação de um cliente. O objetivo das dicas é transformar esses problemas em boas oportunidades de melhorar. E, de quebra, deixar o seu cliente satisfeito (já que todos sabemos o estrago causado por um consumidor insatisfeito). Continuar lendo O cliente reclamou. E agora, o que fazer?

9 coisas que você precisa saber sobre atendimento personalizado

  1. Se você trabalha com o público, já percebeu que existem vários tipos de clientes, então talvez não pareça tão simples pensar em personalização do atendimento. O primeiro passo, portanto, é entender uma regra básica: sim, eles podem ser todos diferentes, mas não há quem não tenha o mesmo desejo, de sentir-se especial. Ninguém quer se sentir apenas “mais um” que entra na loja e não recebe muita atenção. Não importa o produto ou serviço que o cliente esteja buscando, ele quer ser bem atendido.

  2. Foi destaque inclusive na NRF 2017, maior evento de Varejo do mundo, realizado em Nova Iorque, que teve a participação da CDL Caxias: o sucesso das empresas depende de o quanto elas conseguem customizar o atendimento e o relacionamento com seus consumidores. Ou seja, personalizar é uma necessidade para manter-se no mercado atual.

  3. Dica infalível na hora de pensar em ações para a personalização do atendimento: coloque-se no lugar do consumidor! Tenha empatia. Imagine-se no lugar dele para descobrir como tratá-lo e ajudá-lo na necessidade que ele está apresentando.

  4. Não descuide da comunicação com o seu cliente. Quer seja ela virtual ou presencial, é preciso lembrar que cada vez mais as empresas estão disputando pela preferência dos clientes. Então é preciso manter (e sempre melhorar) a qualidade do atendimento, e isso só se faz com uma ótima comunicação com o público. Crie um relacionamento com eles como se fosse de amizade.

  5. Construa esse relacionamento. Assim, ficará mais fácil fidelizar este cliente (fazer com que ele volte e recomende a sua loja). Esse bom tratamento e a conquista do cliente deve ser feita diariamente. E não pode ser deixado de lado na hora do pós-venda!

  6. O valor do seu cliente é maior do que o valor do que ele está comprando. Passe isso à sua equipe.

  7. Falando em equipe, todos do time de vendas devem estar alinhados em como tratar os clientes, de que maneira lidar com os problemas e como fazer a venda. Essa sintonia se dá por treinamentos com os vendedores.

  8. Recompense os bons clientes e bons pagadores com programas estilo fidelidade, que premiam os consumidores e os incentivam a voltar à loja.

  9. Mantenha um histórico dos seus clientes. Mais do que saber quem eles são e do que eles gostam, vale manter os registros na loja de o que aquele cliente já adquiriu, para que você possa direcionar ainda mais o atendimento.

Como criar um bom relacionamento com o cliente?

Já pensou sobre isso? Sem seus clientes, sua empresa não existiria. Ou seja, não há nada mais importante para o seu negócio do que a relação que você mantém com eles.

Sim, nós sabemos que clientes podem ser muito difíceis de lidar. Mas é preciso estar sempre focando em como manter uma relação agradável com todos eles, pois isso está diretamente ligado ao crescimento (e até a manutenção) da sua empresa. Continuar lendo Como criar um bom relacionamento com o cliente?